domingo, 31 de outubro de 2010

Resenha: Eu sou o Mensageiro, de Markus Zusak


Nome: Eu sou o Mensageiro
Autor: Markus Zusak
Edição: 1
Editora: Intrínseca
Ano: 2007
Páginas: 320
Sinopse Original: ''Ed Kennedy leva uma vida medíocre, sem arroubos. Trabalha, joga cartas com cúmplices do tédio, apaixona-se por uma amiga que dorme com todos os vizinhos do subúrbio e divide apartamento com um cão velho. O pai alcoólatra morreu há pouco; a mãe parece desprezá-lo.
Certo dia, ele impede um assalto a banco e é celebrizado pela mídia. O ato heróico tem conseqüência. Logo depois, Ed recebe enigmáticas cartas de baralho pelo correio: uma sequência de ases de ouros, paus, espadas, copas, cada qual contendo uma série de endereços ou charadas a serem decifradas. Após certa hesitação, rende-se ao desafio. Misteriosamente levado ao encontro de pessoas em dificuldades, devassa dramas íntimos que podem ser resolvidos por ele. Uma mulher é estuprada diariamente pelo marido, enquanto uma senhora de 82 anos afoga-se em solidão, à espera do companheiro, morto há mais de meio século.
A ele parece caber o papel do eleito, do salvador. Convencido disso, segue instruções e se perde entre ficções de estranhos e sua própria, embaçada, realidade. A certa altura pergunta-se: "Eu sou real?" Markus Zusak cria um personagem comovente capaz de confrontar o mistério e, por meio da solidariedade, empreender um épico que o levará ao centro de sua própria existência.''


Particularmente gostei muito deste livro, e queria indicá-lo a todos. Esse é um daqueles livros que mexem com a pessoa, que a fazem pensar sobre como levam a sua vida, tudo isso de uma forma sutil e leve, mas que traz grandes resultados, pelo menos pra mim, sim.

A história gira em torno de Ed Kennedy. Um taxista de 19 anos, sem sonhos ou planos pra vida. Seu único companheiro é Porteiro, um cachorro fedorento, e alguns amigos, com perspectivas de vida semelhantes. Tudo começa quando Ed, interfere em um assalto a banco, e começa a receber estranhas cartas pelo correio.
Ele se diz um fracassado, e dá como exemplo disso Bob Dylan e Joana D'arc que com 19 anos, já eram conhecidos. Essa é a história de Ed, que é chamado para salvar vidas.

Um comentário:

Susi disse...

Um dos melhores livros que já li.. Muito bom mesmo!