sábado, 8 de outubro de 2011

Resenha: A Senhora das Especiarias

Oi gente =D

Esse livro com certeza não é muito conhecido, é de uma escritora indiana. É a primeira vez que eu leio um livro assim, indiano e um tanto quanto místico, e tenho que dizer que me surpreendeu.
Há um filme baseado nesse livro, eu só vi até a metade, mas achei-o maravilhoso, e recomendo que vocês o vejam.
Comecei a ler esse livro com uma expectativa enorme, porque, se o filme é bom, o livro deve ser um milhão de vezes melhor não é? Bom, nesse caso, tenho que dizer que não. O livro é bastante bom sim, mas os relatos da vida de Tilo, com o tempo ficam monótonos e chatos. No final do livro, tem um dicionário indiano super legal, mais fica cansativo procurar toda hora significados de algumas coisas.

O que é a magia? É ter poderes mágicos, fazer feitiços e criar poções? Tilo, a Senhora das Especiarias é uma bruxa? Ela não é um ser humano comum, seus olhos enxergam muito além das aparências, seus ouvidos ouvem os corações e ela sabe entender o mais secreto dos pensamentos. Enviada a América pela Primeira Mãe, Tilo tem o dever de ajudar a todos, por sempre os outros em primeiro lugar, aconselhar os outros. Nunca nada para ela mesma. Nova de espírito é aprisionada em um corpo velho e cansado, uma forma para que ninguém nunca a olhe nunca a toque – o que é totalmente proibido, ou que ela se olhe no espelho. Nada que é carnal deve chegar a uma Senhora de Especiaria.
Cada pessoa tem uma especiaria, cada especiaria tem um pode mágico. Dinheiro, Amor, Sucesso, o que você procura? Por dentro, Tilo é apenas uma curiosa, uma descobridora do mundo, aprisionada e ligada a sua loja pra sempre. Mas como sempre, toda princesa tem um príncipe que irá resgatá-la de sua loja. Raven. Oh, Raven, o americano que a mostra o que é viver, que a vê além de seu corpo, que transcende sua alma com seus olhos. Tilo, que antes era quase uma deusa, inabalável, imbatível, se descobre frágil e humana, quando descobre o amor. Nesse livro onde as tradições, os deveres, os cheiros e os sabores estão presentes em cada página, descobrimos o que realmente é o amor verdadeiro, e que juntos, podemos fazer qualquer coisa.

Recomendo o livro porque é um tipo de leitura que muitos ainda não tiveram. Por ter personagens com uma cultura totalmente diferente, a leitura se torna bastante interessante. Apesar disso, não gostei do modo em que o livro foi escrito.

Nota por Café com Baunilha: ★★★★★ (bom)

5 comentários:

Mar disse...

Flor está rolando, além de varios sorteios , o sorteio de marcadores AUTOGRAFADOS la no Imaginayre. Participe!!!

Junior Nascimento disse...

Realmente não conhecia o livro... mas sempre fui interessado em histórias do oriente, quem sabe não começo com a leitura deste? Ótima resenha!

Junior Nascimento
www.CooltureNews.com.br

Nine Stecanella disse...

Olá!

Não conhecia o livro e como você nunca li nada que retrate um pouco dos hábitos e cultura indiana! Gostei da dica porque é sempre interessante ter em nossa lista algo que fuja do nosso comum de leitura!

Beijo!
http://janinestecanella.blogspot.com/

juh annye disse...

Gosto bastante de quando tem resenhas de livros que eu nunca ouvi falar, acho interessante.
xx Juh Annye
Hangover at 16.

Sanzinha disse...

Eu acho que a leitura é válida pela curiosidade, porque, certamente, mesmo que não seja uma leitura cativante, há a chance de aprendermos mais de uma cultura que não conhecemos. :)

Beijos e bom dia!